21 de Maio de 2018
Manaus,BR
°C

Notícias

Com máscara, Fininho revela:” No começo estranho, mas depois foi tranquilo” Meia participou do primeiro treinamento usando a máscara de proteção facial, devido a cirurgia no nariz

Na tarde desta quinta-feira (17), jogadores, diretores, torcedores e comissão técnica não escondiam a alegria de ver o meia Fininho com a possibilidade de retornar ao time em jogos oficiais. O atleta realizou seu primeiro treino usando a máscara de proteção, exigida para ele voltar a jogar.

De acordo com Fininho, no início, a proteção incomodou um pouco, mas depois ele se sentiu mais adaptado e tranquilo.

“O treino com a máscara foi bom. É um período de adaptação. Logo no começo me senti um pouco incomodado, estranho, mas depois, no decorrer do treinamento, foi tranquilo. Graças a Deus, a máscara chegou num momento certo. Estou muito feliz por estar de volta e poder ajudar meus companheiros”, disse.

O técnico Lecheva realizou o último coletivo com o time antes de encarar a equipe rondoniense. No segundo tempo do treino, o comandante colocou Fininho para jogar. Segundo ele, o meia está em fase de adaptação com a máscara, mas ressalta a felicidade de ter o jogador com condições de atuar.

“É uma questão de adaptação, querendo ou não, aquela máscara é uma lembrança do que ele passou, que ele teve uma fratura, apesar de ser uma segurança. Pelo primeiro treino de hoje, ainda é prematuro querer que ele esteja nas mesmas condições que o conhecemos. Mas ele sabe que tem nossa confiança, temos tempo para recuperá-lo. Importante é que ele pode voltar aos treinos e já está à disposição para esse jogo, independente se vai começar a partida ou não”, afirmou.

O comandante azulino fez questão de ressaltar as qualidade do jogador. “Nós vimos o retorno do Fininho com felicidade. Além e ser um jogador importantíssimo para o elenco, tem uma liderança no grupo, personalidade muito forte. Dentro de campo, tem uma qualidade técnica diferente, um toque refinado, uma bola parada muito boa. Então, a gente vê com muita alegria a oportunidade contar com ele, principalmente nesse momento”, destacou.

De Fininho a Zorro

Conhecido no elenco por zoar os companheiros, principalmente dando apelidos, desta vez, é Fininho quem está ‘sofrendo’ nas mãos dos colegas de clube.

Após colocar a máscara e entrar em campo para o treino, os companheiros não perderam a oportunidade de identificar logo o jogador. De Fininho passou a ser chamado de Zorro, um personagem de ficção que também usa máscara.

O meia sorriu e lembrou que diferente do personagem ele não usa capa negra e nem espada. Cuidou logo de garantir que tudo não passa de brincadeira e que leva na esportiva.

“Eu não uso capa e nem espada, mas é inevitável as brincadeiras, as piadinhas dos companheiros (risos), mas isso aí a gente leva na esportiva. É uma brincadeira saudável e sei que são apelidos carinhosos”, ponderou.