27 de Maio de 2018
Manaus,BR
°C

Notícias

Naça sai de campo aplaudido após jogo equilibrado diante da Ponte Preta-SP

Raça. A palavra que resume a apresentação do Nacional Futebol Clube, nesta terça-feira (7), pela Copa do Brasil. Jogando diante da Ponte Preta-SP, vice líder do grupo B no Campeonato Paulista, o Leão da Vila Municipal mostrou atitude, mas acabou sendo eliminado após empate em 0 a 0, na Arena da Amazônia. Mesmo com o resultado, a torcida aplaudiu de pé o Mais Querido.

De acordo com o regulamento da competição, o time com melhor posição no ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) joga pelo empate, no caso a Ponte Preta-SP. Portanto, para o Nacional FC somente a vitória interessava.

Apresentado no último domingo (05), o técnico Arthur Bernardes teve apenas dois treinos para trabalhar com a equipe até a partida diante do time paulista. Já conhecido da torcida nacionalina, ele promoveu a entrada Cristiano entre os titulares, além do zagueiro Kennedy. Mas quem deu nome ao jogo foi o goleiro Marcelo Valverde que operou milagres parando todas as bolas da equipe adversária.

Mais de duas mil pessoas acompanharam o jogo direto do estádio que recebeu partidas da Copa do Mundo e Olimpíadas. A renda ultrapassou R$ 37 mil reais. Foi o maior público do Naça em quatro partidas oficiais disputadas em 2018.

O Nacional volta a campo pelo Campeonato Amazonense. No dia 17 de janeiro, o Leão encara o Fast Clube, às 15h, com local a ser definido pela Federação Amazonense de Futebol.

O Jogo

O Leão da Vila Municipal começou ditando o ritmo da partida. Aos 5m, Paulo Roberto avançou pela risca da área e bateu cruzado, fazendo o goleiro da Ponte Preta trabalhar. Aos 10m, de novo Paulo Roberto arriscou, dessa vez de fora da área, mas a bola foi para fora.

Aos 15m, Balú pela direita, tabelou com Alexsandro. O camisa 9 entrou na área e finalizou, mas a defesa da Macaca tirou. A Ponte, por outro lado, atuava na base do contra ataque e jogadas de cruzamento. Aos 28m, Thiago Real arriscou na entrada da área e a bola foi para fora.

O Nacional voltou a levar perigo aos 31m, Paulo Roberto tabelou com Cristiano. O meia tocou de primeira para Alexsandro, que livre na direita da grande área finalizou com categoria para boa defesa do goleiro Ivan. Três minutos depois, o goleiro do Nacional brilhou na partida após duas defesas plásticas.

No final da primeira etapa, o Naça chegou a atacar com velocidade com Pedro Balú, Paulo Roberto e Alexsandro, mas a bola resvalava na defesa do time adversário. A partida terminou empatada em 0 a 0. A torcida empolgada com a atuação do Leão, aplaudiu os jogadores após apito do juiz.

O segundo tempo começou a todo vapor e com o Naça no ataque. Aos 10m, Balú chutou mascado e a bola desviou no zagueiro Kennedy, levando perigo a meta do goleiro da Macaca. Aos 14m, Valverde efetuou bela defesa, após toque de cabeça do Renan. Aos 23m, novamente Renan desviou de cabeça e o arqueiro do Naça mais uma vez operou um milagre diante os presentes na Arena da Amazônia.

A Ponte Preta ainda levou perigo nas bolas alçadas na área, mas sem sucesso. Aos 40m, a melhor oportunidade do Leão da Vila Municipal. Rodrigo Ítalo levantou na área e Paulo Roberto bateu de leve. O goleiro Ivan efetuou defesa para o delírio dos torcedores.

A Macaca ainda tentou sair no contra-ataque e o Nacional em velocidade assustou o time paulista, mas o juiz decretou o resultado, Nacional FC 0 x 0 Ponte Preta.

NACIONAL FUTEBOL CLUBE 0 X 0 PONTE PRETA

Nacional FC: Valverde; Pedro Balu, Kennedy, Zé Antônio e Felipe; Baé, Adonias (Delciney), Cristiano (Rodrigo Ítalo) e Fininho; Paulo Roberto e Alexssandro (Jack Chan);

Ponte Preta-SP: Ivan; Emerson, Luan Peres, Renan e Jefferson; Marciel, Orinho, Thiago Real e Leo Arthur (Daniel); Felipe Cardoso (Iury) e Silvinho (Felipe Saraiva);

Arbitragem: Savio Pereira Sampaio (arbitro), José Reinaldo Nascimento Júnior e Daniel Henrique da Silva Andrade (assistentes) e Ivan da Silva Guimarães Júnior (quarto arbitro)

Público presente: 2.375
Renda: R$ 38.610,00