16 de dezembro de 2017
Manaus, BR
°C

Notícias

“Que esse clássico nos traga bons resultados “, goleiro Jonathan sobre o Rio-Nal

No dia 24 de agosto o Nacional Futebol Clube estreia no Campeonato Amazonense diante do Rio Negro. As duas equipes farão o tradicional clássico Rio-Nal, a partida promete grandes emoções. Para o goleiro Jonathan Queiroz, a vitória do Naça trará ‘moral’ para a equipe. Ele espera sair com um resultado positivo do clássico.

“A vitória é importante para o time já no início de Campeonato. Treinamos muito para isso e começar com esse clássico é a afirmação que temos para mostrar que estamos motivados e entrosados. Ganhar esse jogo vai trazer moral e é disso que estamos precisando, recuperar a confiança do torcedor e fazer bonito em campo com garra e vontade de vencer. Se o time joga bem, a torcida se sente confiante e faz a festa na arquibancada. Que esse clássico nos traga bons resultados”, afirma.

Atualmente, o Nacional conta com dois goleiros, Jonathan e Tom. O técnico Alan George não revela quem vai assumir a titularidade no gol azulino. Jonathan que é amazonense revela que isso não influencia na escolha do treinador, mas sim o desempenho dos treinamentos.

“Tenho muito orgulho de ser amazonense, mas não acho vantagem disso no clube. O professor vai definir quem melhor se destacar nos treinos. O que fazemos é torcer uns pelos outros. E quem assumir vai dar o seu melhor para ajudar o time”, ressaltou.

O arqueiro que já foi campeão estadual pelo Leão da Vila, em 2012, garante que não vai medir esforços para conseguir o bicampeonato e admite que apesar de experiente, o elenco vai ter de mostrar trabalho.

“O Campeonato Amazonense se modifica a cada ano. Ano passado foi de um jeito, esse ano vai ser outro. Eu vejo como uma oportunidade para o nosso time se reinventar, ter coerência e buscar o título. E estamos trabalhando para conseguir isso”, disse.

mat

Sobre o título com o Naça, Jonathan conta emocionado a importância da conquista. “Em 2012 tive a honra e a competência de agarrar um pênalti contra o Fast. No primeiro jogo empatamos, na final vencemos por 2 a 1 e nesse jogo teve esse pênalti que defendi. O Nacional estava com um jejum de títulos e conseguimos nos consagrar campeões naquele ano”, relembra.

Questionado sobre sua expectativa para o Estadual, ele afirmou estar confiante no elenco e consciente de que todos têm feito um bom trabalho

“Tenho as melhores expectativas, estamos com um time bom, grandes jogadores, elenco bem entrosado. Nas outras competições que participamos não tivemos sorte, mas essa com certeza vai ser uma história diferente, como o Estadual é um ‘tiro curto’, quem errar menos vai conseguir o título. Creio que vamos errar pouco, estamos treinando pra isso. Ano que vem vamos estar competindo a nível nacional, mas para isso esse ano temos que conseguir o tri campeonato e eu quero ser bicampeão”, finalizou.

Colaborou: Roberta França