17 de dezembro de 2017
Manaus, BR
°C

Notícias

Foi Na-Raça

Raça, amor e entrega. Esses foram alguns dos adjetivos que resumem o Nacional Futebol Clube na estreia do campeonato amazonense de juniores, contra o São Raimundo, na noite deste sábado (26), no estádio Ismael Benigno, (Colina), zona Oeste de Manaus.

O Leão da Vila Municipal chegou a ficar atrás do marcador na maior parte da partida, porém os comandados do técnico James Furtado lutaram ate o último minuto e conseguiram uma virada heróica por 4 a 3, que garantiram os primeiros três pontos da equipe na competição.

Pré- Jogo

DSC05958

Foi na base da motivação! O discurso pré-jogo do técnico James Furtado minimizou os 20 dias sem treino, que a equipe acabou passando e inflamou os meninos com palavras de entrega e superação.

O Jogo

Nacional e São Raimundo começaram a partida se estudando bastante, sem se lançar de qualquer jeito para o ataque. O Naça tinha dificuldades em sair pelo meio campo, os meias do São Raimundo adiantavam a marcação e pressionavam a saída de bola do Leão. Com isso, a única alternativa que o Naça encontrava para fazer a ligação com o ataque era através dos laterais ou na base do chutão.

Em bela decida. O São Raimundo chegou ao primeiro gol, depois de uma boa bola alçada na área, em que Adriano completou para o fundo das redes, 1 a 0 São Raimundo.

O gol deu animo as duas equipes, que passaram a se lançar ao ataque e a propor mais o jogo. As melhores jogadas do Naça vinham em lances individuais do camisa 10 do time, Hyllan. O atacante foi duramente perseguido durante todo o jogo pelos adversários, sofrendo varias faltas violentas e intimidações que vinham das arquibancadas.

O Nacional chegou ao empate, depois de uma bela bola levantada para área do meia Matheuzinho, que encontrou o valente atacante Robson Junior no meio dos zagueiros do São Raimundo. Foi o empate do Leão da Vila, 1 a 1.

O Naça passou a sufocar o adversário, mas não conseguia encontrar os atacantes em condições de finalizar e acabava deixando espaços para o contra-ataque do adversário. O São Raimundo se aproveitou desse descuido de marcação e desempatou a partida com Fábio, 2 a 1 São Raimundo.

O primeiro tempo terminou com os jogadores do Nacional se cobrando bastante pelo resultado. Hyllan destacou na saída do campo a importância da equipe continuar unida e não deixar de ter sangue nos olhos para conseguir o resultado no segundo tempo.

‘’precisamos ficar mais com a bola e não tentar apenas o chutão. A gente tem que manter o espírito vencedor, que raça ganha jogo também, não é só técnica. ’’, disse,  o 10 do Naça.

Perseguido

DSC06065

Hyllan foi disparado o jogador mais perseguido em campo. O atacante infernizava a vida dos zagueiros do São Raimundo pelo lado direito do ataque e criava as melhores chances da equipe do Nacional.

Etapa Final

O Nacional começou o segundo tempo com uma substituição, saiu o Linnecker camisa 6 e entrou o atacante Lucas Rosa.

O time passou a ter mais movimentação no ataque, mas ainda dava espaços para os meias do São Raimundo descerem em velocidade. Não demorou muito para o meia Adriano do São Raimundo bater uma falta com precisão, sem chances para Mathie, era o terceiro gol do adversário.

Depois disso, James Furtado fez duas alterações que mudaram o panorama da partida, ás entradas de Ligeiro, com camisa 7 e Leozinho com a 17. O time ganhou muito em velocidade e passou a comandar todas as ações do jogo.

Em jogada individual de Hyllan, o atacante veio costurando a zaga do São Raimundo que só foi conseguir parar o 10 do Naça com falta dentro da área, pênalti. Na cobrança, o próprio Hyllan bateu com extrema categoria no canto direito do goleiro Otávio, foi o segundo gol do Naça.

Começava à reação do Leão.

E os marcadores do São Raimundo não sabiam o que fazer com Hyllan. O atacante levava vantagem em quase todas as jogadas pela direita, era parado apenas com chegadas duras, que sempre acabavam em faltas perigosas para o Naça.

Em uma dessas faltas na entrada da área. Hyllan ajeitou com carinho, foi para cobrança e anotou um gol de placa, empatando a partida na Colina e fervendo os ânimos em campo.

Cobrança segura, no canto oposto do goleiro do São Raimundo
Cobrança segura, no canto oposto do goleiro do São Raimundo

O São Raimundo estava mentalmente entregue no jogo. Depois do gol de empate, apenas a equipe nacionalina atacava. Não demorou muito para Rocha avançar pelo lado esquerdo e encontrar Ligeiro livre de marcação, apenas para liquidar à fatura e dá números finais a partida.

Nacional 4×3 São Raimundo.

Pós-jogo

DSC06182

Na saída do gramado, o craque da partida, Hyllan, que já havia cantando a bola ao sair no intervalo, sobre o que a equipe precisava para sair com o resultado positivo, ressaltou também sobre a raça e a entrega que os jogadores tiveram dentro de campo e comentou sobre sua atuação durante os 90 minutos.

‘’Essa vitoria não é só do Hyllan é do grupo inteiro. Lutamos os 90 minutos e não desistimos, demonstrando sempre raça, muito empenho e paixão. Foi uma vitoria com a cara do Nacional.’’ Disse, o nome do jogo.

O técnico do Nacional, James Furtado reforçou as palavras dos atletas sobre entrega e afirmou que tem o grupo na mão.

‘’Ter um grupo determinado, dando oportunidade para os garotos mostrarem seu futebol, liberando eles para jogar, não rompendo de mostrar suas habilidades. Você percebe que temos um grupo com bastante velocidade, garra, determinação. Podemos mexer com seis atletas e ver que os melhores podem está ate no banco. ‘’, Completou, Furtado.

Câimbras

Jogadores de ambas as equipes sentiram muito a estreia no gramado pesado da Colina. Muitos tiveram que ser substituído por causa das fortes câimbras na etapa final.

Classificação com os cinco primeiros do Juniores:

  1. Manaus – 3 pontos
  2. Rio Negro – 3 pontos
  3. Nacional – 3 pontos
  4. Penarol – 2 pontos
  5. Sul América – 1 ponto

O Nacional volta a campo no próximo sábado (2), para enfrentar seu maior rival o Rio Negro, que também venceu na estreia. O jogo será no Ismael Benigno (Colina) e a entrada para assistir o RIO-NAL é um quilo de alimento não perecível.