16 de dezembro de 2017
Manaus, BR
°C

Notícias

Nacional joga melhor, mas cede empate no final

Ficou com gostinho de derrota. O Nacional, que ditou o ritmo durante grande parte da partida, principalmente no primeiro tempo não conseguiu segurar o resultado positivo e, no final do jogo, em um momento de desatenção da zaga, acabou sofrendo o gol de empate no estádio da Colina, em Manaus.

Com o resultado, o Naça jogará por uma vitória simples, ou pelo empate por dois ou mais gols, no dia 6 de abril no estádio do Mangueirão, em Belém. O Remo com apenas um empate sem gols já avança. Em caso de novo resultado por 1 a 1, a decisão ira ser decidida nos pênaltis.

Pré-jogo

DSC05745

Antes de a partida começar, os jogadores do Nacional entraram em campo com um gesto bem nobre. Todos os titulares pisaram no gramado levando consigo uma criança com Síndrome de Down.  A ação, em parceria com a Associação de Pais e Amigos do Down no Amazonas (APADAM), foi em homenagem ao Dia Internacional da Síndrome de Down, que aconteceu na última segunda-feira (21/03).

O jogo

Apesar do inicio abaixo do esperado por ambas as equipes, o Nacional foi o time que mais demonstrava organização em campo, deixando a equipe paraense sem a bola, não dando espaços na defesa e saindo no contra ataque. Pela equipe paraense, o maior problema era o setor de criação. Bem marcado pelos volantes do Naça, os meias do Remo tiveram bastante dificuldade em achar seus atacantes em condições de finalizar.

Depois de boa decida pelo meio campo, Álvaro sofreu um carrinho violento de Chicão na entrada da área. O volante remista recebeu cartão amarelo do arbitro da partida. Na cobrança, o lateral direito Osvaldir colocou com perfeição a bola no canto direito, indefensável para o goleiro remista, abrindo o placar na Colina aos 17 minutos da etapa inicial.

O gol animou as duas equipes, que passaram a se lançar mais ao campo de ataque, principalmente pelas laterais do campo. Em boa decida pela esquerda de Radar, o lateral faz bela tabela com o meia Max William e chutou cruzado, com perigo, levantando o torcedor nacionalino que compareceu ao estádio.

O adversário ainda esboçou uma superioridade, por volta dos 30 minutos, mas o Nacional rapidamente re-estabeleceu o controle da partida e podia, ainda, ter ampliando o marcador no final do primeiro tempo. Depois de boa jogada de Rodrigo Dantas, o atacante deixou Álvaro em ótimas condições para finalizar, mas o meia não aproveitou – chutou pela esquerda e desperdiçou uma grande chance.

Intervalo

DSC05907Através do Projeto Craque 2020, garotos da base do Nacional subiram ao campo para se apresentarem à torcida e reforçar o planejamento que o Leão da Vila Municipal vem fazendo com os jovens atletas, para que, em breve, muitos deles possam ser aproveitados no time profissional.

Os meninos também bateram bola no gramado e saudaram os torcedores nacionalinos.

Etapa Final

Nacional e Remo voltaram sem alterações para os 45 minutos finais. O Remo partiu para o ataque em busca do gol de empate. Aos três minutos, Eduardo Ramos encontrou Ciro na entrada da área do Naça, o atacante chegou chutando e levou perigo à meta do goleiro Roberto.

Logo após, o técnico Heriberto Cunha mexeu na equipe, colocando Railson no lugar de Max William. Em resposta, o técnico do Remo realizou duas substituições.

Aos 16 minutos, o colombiano Tressor Moreno saiu para entrada do atacante Rafael Silva, que durante o segundo tempo demonstrou boa entrega, correndo bastante.

Show de cartões

No segundo tempo o time do Nacional abusou dos cartões amarelos. Osvaldir, Rodrigo Dantas e Álvaro foram para a caderneta do arbitro brasiliense Rodrigo Batista Raposo. Além de Fabiano que já havia sido advertido no primeiro tempo.

Lance decisivo

Já na base do desespero, o time do Remo foi direto para o abafa e, depois de uma bola alçada na área, Eduardo Ramos aproveitou a confusão na zaga nacionalina, empatou o jogo, e deu números finais a partida.

Torcedor nacionalino fez grande festa durante os 90 minutos
Torcedor nacionalino fez grande festa durante os 90 minutos

Cenas lamentáveis

Depois do fim da partida, torcedores do Nacional ficaram revoltados com o árbitro e começaram a jogar copos e latas no gramado. A polícia respondeu com spray de pimenta e cassetetes. No meio de toda a confusão, um dos policias arremessou uma bomba no meio da torcida do Naça. A ação só gerou mais revolta dos torcedores, que ficaram indignados com o fato da bomba ter atingindo o filho, de dois anos, do zagueiro Edson Rocha, do Nacional.

Segundo familiares do zagueiro, a criança passa bem apesar do susto.