17 de dezembro de 2017
Manaus, BR
°C

Notícias

“Vamos lutar para que a taça fique no Amazonas”, afirmou Heriberto da Cunha

O confronto entre Nacional Futebol Clube e Remo/PA, marcado para o dia 14 deste mês, na Arena da Amazônia Vivaldo Lima, ganhou um incentivo, além da rivalidade entre as equipes, agora está em disputa a taça Leão Forte da Amazônia. A partida marcada anteriormente para às 17h, foi adiada para as 18h.

Para o técnico do Naça, Heriberto da Cunha, o prêmio oferecido ao vencedor do duelo dos Leões aumenta rivalidade. Ele garante que o time vai jogar para garantir a permanência do troféu no Amazonas, mas ressalta que o objetivo é avaliar o rendimento da equipe que está sendo construída para a temporada.

“Vamos lutar para que a taça fique no Amazonas. É uma rivalidade muito grande entre o Naça e Remo e a disputa aumenta de proporção com a taça, mas não podemos levar para esse lado. Devemos levar pelo lado profissional de fazer o melhor, procurar construir nosso trabalho com qualidade e capacitar os jogadores, para que eles possam realmente entrar nas competições oficiais bem focados e preparados. A nossa maior preocupação é avaliar a equipe que está sendo construída dentro desses jogos”, disse.

O comandante garantiu ainda que a comissão vai dar continuidade aos treinamentos, sempre fazendo observações e colaborando para que todos os atletas estejam em ritmo de jogo.

“A gente continua a intensificar os treinamentos, procurando a construção dessa equipe, acertando nas mudanças, nas alternativas que estamos buscando, isso é fundamental para nós. Temos que visar o campeonato, na pré-temporada não podemos deixar de fazer algumas observações, dar continuidade em alguns atletas, para que eles peguem o ritmo de jogo, em uma performance melhor”, salientou.

As peças de Heriberto

O técnico lembra a qualidade do elenco, as peças que têm em ‘mãos’ e revela que alguns jogadores estão em adaptação, mas garante que o time está para a disputa e ressalta a vontade de vencer, que eles não gostam de perder nem em treino.

“Tem algumas peças, em recuperação como, por exemplo, Rodrigo Dantas, o Hércules e o próprio Wanderley, que chegou agora e tem que ser trabalhado, apesar de ele (o Wanderley) estar treinando, todos ainda têm muito a melhorar. Os atletas variam de um para o outro, quanto ao tempo de adaptação. Por isso, esses amistosos são bons. Tudo isso passa dentro de uma equipe de futebol, essa reconstrução da equipe do Nacional requer tempo e a gente está trabalhando para encurtar esse tempo e melhorar o mais rápido possível e ter em mãos um elenco forte”, disse.

Ingressos

Os ingressos para o clássico dos leões custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) e serão vendidos a partir da próxima semana, na sede do clube, na loja Sport Line Nell e no site Ingress.com e nas bilheterias da Arena da Amazônia, no dia do jogo.